Alexandre Rojas de Lima | PsicoEstratégica

Matérias

Resistência à Mudança

Escrito por em 28 Apr, 2014

Tudo resiste à nossa mudança. O Ambiente, as pessoas, nós mesmos, até os eventos parecem as vezes resistir á mudança.

Há uma leitura interessante deste fenômeno, que podemos resumir em “economia dos sistemas” (Escola de Palo Alto).

Todas as vezes que um Sistema começa uma mudança ele precisa se readaptar, alinhar novos relacionamento, medir forças e entender os novos caminhos.

Cada um de Nós faz parte de diferentes sistemas, em casa no trabalho, ou a nível macro na sociedade.   Muitas vezes esquecemos que nós mesmos somos um sistema!   Os vários elementos que compõem os nossos sistemas quando se deparam com uma mudança precisam se equilibrar e se readaptar, se relacionar e até enfrentar eventos as vezes estressantes.

A Mudança portanto é  o mecanismo que permite de adaptarmos a novas regras, novas forças e elementos do nosso sistema.

Naturalmente quando conseguimos aprender e achar um novo ponto de equilíbrio “dinâmico” tendemos a  ”não mudar” para outro estado. Mesmo sabendo as vezes que a mudança será positiva, há sempre variáveis incontroláveis que podem nos surpreender. Começamos a pensar ou sentir que o simples fato de  re-aprender, negociar novamente, medir forças pode ser cansativo ou perigoso.

Os fatores que influenciam a resistência a mudar são portanto a grande luta pela sobrevivência do antigo sistema, que no fundo não quer mudar:  por medo e por economia de energia. Pode ser menos desgastante manter o estado atual do que mudar, e menos energia temos menos será a nossa vontade de Mudar.

Com certeza a ideia aprendida que temos e que mantemos sobre Mudança pode nos bloquear mais…  mas podemos trabalhar estas ideias e desbloquear.

A novidade pode ser surpreendente, as batalhas para as novas conquistas podem ser mais fáceis do que imaginamos  se soubermos usar e recarregar as nossas energias.

Pensem em quanto de bom tem no sistema atual que vocês vivem, nos atores, no ambiente e em vocês, prestando atenção em que o bom pode ser melhorado e que o que não é bom as vezes está simplesmente permitindo uma economia de energias.

Além de tudo nós nos apegamos ao nosso mundo e temos medo de perder confortos.

Mas novos confortos podem vir se soubermos (e querermos) mexer no sistema.

Começando pela ação..

 


 

 

 

 

por: admin

Deixe seu Comentário